Nota

O problema é q…

O problema é que eu não sou daqui,

Minhas raízes, alguém muito velho já tinha meu nome, e levava porquinhos como se fossem bebês.

Luiza era louca, e ficava na cama, que triste.

A minha tatuagem da perna me dizia que era hora de partir,

Eu a deixei apagando aos poucos, eu esqueci que pássaros voam.

Todos me perguntaram alguma vez, o que é esse caracol?- A andorinha, vai saber quando eu fizer seu par.

E pra onde você vai dessa vez?- ninguém perguntava. Ai eu tinha que esperar o tempo passar , eu mudar e crescer. Mas eu sabia que haviam coisas na vida pra que eu fosse feliz. Haviam coisas a serem encontradas descobertas. Coisas que eu teria que sentir, e experimentar com a minha boca e cheiro.

Mas eu pensava nisso com cuidado, por que sabia como o mundo tornou toda experiência em mercado.

E todos eram grandes mercadores de amores. Fujo disso como da cruz.

Viver aqui na cidade é terrível, mas há refúgios, eu espero, mas é terrível…

Por mais que eu fujo entrando no meio do mato  e quase não há placas, tento me esconder.

É isso tenho que achar outros esconderijos em outros cantos. Tenho mil vontades, e algumas eu quero que eu alguém vá comigo. Eu só sou meia aventureira.

Depois quando eu voltar, outra vida vai ser. Onde é que vou?

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s